Apresentação:

Em outono de 1975, um grupo de sete jovens artistas (três brasileiros, dois portugueses e dois japoneses) chegou à pequena cidade de Cunha, no Vale do Paraíba, com um sonho comum: criar um coletivo de ceramistas no Brasil, que trabalhasse com forno a lenha em meio à natureza. Em dezembro de 1975, o grupo inaugurou o primeiro forno à lenha tradicional japonês da cidade, um noborigama, em um local que passou a ser conhecido como Antigo Matadouro. 40 anos depois e após a dissolução do grupo inicial, existem hoje sete desse tipo de fornos, transformando Cunha no maior pólo de noborigama da América do Sul. 

Depois do lançamento do livro comemorativo dos 30 anos de cerâmica em Cunha em 2005, hoje esgotado, Cunha afirmou-se como um local de agregação de ceramistas de várias origens, atraindo profissionais e interessados de todo o país e além fronteiras. Hoje o visitante pode conhecer cerca de vinte ateliês abertos ao público que trabalham com uma variedade de técnicas, queimas e influências, colocando Cunha no mapa como um local privilegiado para estudantes e interessados na cerâmica.

Para além do estabelecimento de novos ateliês, nos últimos dez anos Cunha assistiu à fundação do Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha (ICCC), em 2009, que tem como objetivo promover a cerâmica de Cunha culturalmente, levando esta arte para fora dos ateliês. Com uma missão social e educacional, o Instituto oferece oficinas e cursos de cerâmica aos jovens da região, democratizando seu acesso à população local e criando convênios com outras instituições de ensino. 

Ademais, em 2010, a cidade recebeu o Memorial da Cerâmica de Cunha, um museu virtual com o catálogo online de cerca de 200 peças do grupo do Antigo Matadouro e das paneleiras, ceramistas tradicionais da região antes da chegada dos fornos noborigama. Finalmente, deu-se a retomada do Festival de Cerâmica de Cunha, além da realização de várias exposições, intercâmbios e atividades culturais e educacionais.

Assim, este projeto tem como objetivo comemorar os 40 anos da chegada do grupo do Antigo Matadouro e apresentar o trabalho dos ceramistas hoje em atividade na cidade, abordando os aspectos técnicos e artísticos envolvidos nos processos de produção da cerâmica na região através da publicação de um livro a ser lançando durante o X Festival de Cerâmica e a realização de uma exposição coletiva no Espaço Cultural Lavapés em outubro de 2015.

Este é o projeto da publicação especificado:

Pancron Indústria Gráfica
Cliente: Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha
Data: 25/09/2014
Título: Cerâmica em Cunha: 40 anos de forno noborigama
Espécie: Livro
Especificações:
Tiragem 3000 exemplares.
Formato Fechado 23 x 20 cm.
Capa no tamanho aberto 70,0x20,0 cm em papel CARTÃO TP PREMIUM (IMUNE 300 g/m² impressos à 4x1 cores). 
Acabamentos: Dobra Man Cruzada/Paralela, Laminação Fosca, Vinco , Corte/Refile.
63 Lâminas de Miolo no tamanho aberto 46,0x20,0 cm em papel COUCHE FOSCO (IMUNE) 150 g/m² impressos à 4x4cores.
Acabamentos: Dobra Cruzada/Paralela, Corte/Refile   
Miolo 200 páginas, costurado e colado na capa formando lombada quadrada, capa com 2 orelhas de 11 cm.

Aproximadamente 100 imagens.



Preço promocional de pré-lançamento: R$ 50,00

 

Cotas de participação:

R$ 50,00       1 Livro “A Cerâmica em Cunha”

R$ 100,00     1 Livro + 2 Convites para o lançamento

R$ 250,00     1 Livro + agradecimentos especiais + 1 convite para o lançamento

R$ 500,00    10 Livros

R$ 1.000,00logomarca da empresa (tamanho pequeno) na 2ª capa + 1 livro

R$ 1.500,0030 livros + 2 convites para o lançamento

R$ 2.000,00 logomarca da empresa (tamanho grande) na 2ª capa + 3 livros

R$ 3.500,00 logomarca da empresa (tamanho pequeno) na 2ª capa + 50 livros + 1 convite para o lançamento

R$ 5.000,00 100 livros + agradecimentos especiais

R$ 7.000,00 100 livros + logomarca da empresa (tamanho grande) na 2ª capa + convite para o lançamento

 

Para apoiar o projeto, deixe sua mensagem em nosso facebook
Também é necessário enviar a ficha de doação, que pode ser feito o download aqui.